Notice: Undefined variable: this in /var/www/vhosts/jocelicoan.com.br/httpdocs/cake/libs/set.php on line 650 O Comportamento e as Atitudes nas empresas - Joceli Coan Ir direto para o Conteúdo

Joceli Coan

Coan


O Comportamento e as Atitudes nas empresas

O Comportamento e as Atitudes nas empresas

Joceli Coan

Dentro dos estudos e percepções no tempo, aprendi que algumas empresas mais bem sucedidas, depois de atingiram em média mais de 20 anos de existências, o que determinará o sucesso continuado e permanência no mercado, é o comportamento e forma de agir frente os fatos nos dia a dia.

Como a maioria dos empresários já tem uma família constituída e os filhos em idade de entrar no mercado de trabalho, e a preferência dos filhos é dar continuidade do projeto de seus pais.

Alguns, preferem outro caminho iniciando o seu próprio negócio independentemente dos querem e ou não.

Como estes empresários estão no terceiro ciclo, duas décadas com a empresa no mercado, as interferência começam a serem mais fortes e o comportamento em alguns casos, definirá como a empresa continuará a seguir seu rumo.

A cultura centrada no fundador está arraigada em toda organização, e as mudanças devem ocorrer com o passar do tempo, mas de uma forma sutil evitando que o próprio empreendedor fique contra as mudanças tão necessários em cada ciclo.

Alguns ainda hoje, quando as mudanças são ótimas e os resultados surpreendentes, ficam enciumados, em alguns casos e na primeira oportunidade demitem o agente de mudança para mostrar seu poder de mando em toda a empresa. Esquecem que o maior perdedor é ele próprio. Alguns inclusive invejam o sucesso dos profissionais que começa a dar uma cara nova para a empresa.

Alguns se preocupam mais em mostrar poder de mando em detrimento ao resultado positivo. Nestes casos específicos, os resultados e as empresas estão em constantes dificuldades e oscilações em seus resultados operacionais. Baixa produtividade, pessoal desmotivados por sentirem e observarem que a empresa é dirigida empiricamente. E na base da pressão.

A rotatividade de profissionais é muito alta, principalmente os melhores procuram espaços em outros lugares e ou mesmo forçando a saída, para mostrar seus projetos de vida e profissional em outros lugares.

Os empresários, para mim, deveriam se preocupar com rentabilidade, satisfação dos profissionais, este por sua vez sentirem-se protegidos, incentivando o aumento constante da produtividade e com forte utilização da tecnologia tão indispensáveis em nossos dias.

Nas novas estruturas, o poder de mando deveria ser, para mim, efeito caracol onde todos possam decidir o que e melhor para a empresa, dentro de suas atribuições e limites de responsabilidades. Neste caso, profissionais satisfeitos e sabedores de seu papel, são mais felizes e produtivos.

O chefe, e ou empreendedor com chicote na mão, já deixou de existir faz tempo.
Resta para mim, lideres que apoiam, cobram e em conjunto definem as ações a serem realizadas dentro das possibilidades e limites de cada um.

Como estamos liderando nossa equipe?
Somos motivadores e ou somente cobradores?
Damos oportunidades a todos demonstrarem suas habilidades e conhecimentos?
Nossas atitudes e comportamentos são coerentes com o tempo e o espaço?


Joceli Coan. Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvimento BURN